Viagem a dois na Copa

Para aqueles que não sabem, nós gostamos muito de futebol. Embora não sejamos daqueles fanáticos que sabem o nome até dos familiares dos jogadores reservas do nosso time, gostamos de frequentar estádios e dividimos a paixão pelo Botafogo. Um dos nossos primeiros programas juntos foi assistir a uma partida do alvinegro carioca contra o Atlético-MG no Engenhão.

Diante disto, é claro que queríamos participar desta grande festa que foi a Copa do Mundo no Brasil. Era a oportunidade perfeita para assistirmos a jogos da principal competição futebolística do mundo sem a necessidade de grandes viagens.

Nós nos inscrevemos em todas as etapas da venda de ingressos da FIFA e, infelizmente, não conseguimos nada no sorteio. Já estávamos meio frustrados quando soubemos que haveria mais uma etapa e decidimos comprar qualquer jogo que aparecesse. Conseguimos, então, ingressos para Costa do Marfim x Grécia, pela primeira fase, em Fortaleza. Como o jogo era na véspera de nosso aniversário de casamento, decidimos estender por um dia a nossa estadia e comemorarmos a data almoçando no Coco Bambu, o nosso restaurante preferido por lá.

3 anos de casados e nós na Arena Castelão

3 anos de casados e nós na Arena Castelão

Como moramos no ABC, não tínhamos sentido ainda o clima da Copa. Muitíssimos estrangeiros na rua, todos felizes… A atmosfera no estádio era sensacional. Um clima de paz e celebração que poucas vezes vi na vida. O jogo, que não parecia grande coisa, acabou sendo emocionante, com a classificação da Grécia no último minuto em um gol de pênalti.

Voltamos para São Paulo e queríamos mais. Acordávamos às 5h da manhã para tentar comprar algum dos ingressos que saíam nos lotes diários. Conseguimos, então, um ingresso para as oitavas no Itaquerão. Para nossa sorte, Argentina x Suíça.

Fomos de trem para o estádio e ficamos bem no meio de nossos hermanos. A festa deles foi sensacional, pulando e cantando o jogo todo. De fato eles não foram muito educados com a torcida rival, mas faz parte. No fim das contas, vimos o Messi jogar ao vivo e também presenciamos a uma partida emocionante, decidida apenas nos últimos minutos da prorrogação.

Nós no Itaquerão

Nós no Itaquerão

Mas o melhor estava por vir. Depois de 10 dias acordando de madrugada conseguimos os ingressos para a final da Copa, e ainda por cima no setor mais barato! Ou seja, satisfação sem rombo no orçamento! A festa só não foi maior porque o Brasil foi eliminado. Mas o Luciano quase chorou de satisfação enquanto preenchia os campos para confirmar a compra.

Nossos tão sonhados ingressos para a final.

Nossos tão sonhados ingressos para a final.

Na porta do Maracanã!

Na porta do Maracanã!

A festa no Maracanã foi linda. Ficamos bem atrás de um grande grupo de alemães que torceram o tempo todo, muitas vezes abafando o grito dos argentinos. Também neste jogo os hermanos não foram muito educados, mas mesmo assim ficamos com pena deles quando, no fim da partida, choravam a derrota de Messi e cia. Muitos venderam tudo o que tinham para estar ali, o que nós compreendemos totalmente. Tivemos a sorte de ver um mais um jogaço, decidido novamente nos últimos minutos da prorrogação. A taça está em boas mãos com os alemães.

No palco da final

No palco da final

Ficamos muito felizes de ver que nosso país está preparado para receber grandes eventos! Os aeroportos funcionaram, os turistas se sentiram seguros, o povo acolheu muito bem os gringos… Esperamos que essa Copa consolide o Brasil como destino turístico e melhore a nossa imagem, tanto no exterior quanto para nós mesmos. Houve e haverá problemas, mas, se Deus quiser, serão resolvidos e teremos Jogos Olímpicos também maravilhosos. Vamos espantar nosso complexo de vira-lata.

Caso queira ver algumas fotos da nossa aventura, procure no Instagram #viagemadoisnacopa ;-)

De certo, o gostinho de quero mais. Que tal pensar na Rússia em 2018? Alguém se habilita?

______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Onde comer em Florença

Florença foi o lugar onde melhor comemos na Itália. Há diversos restaurantes com pratos saborosos a preços razoáveis. Neste post vamos deixar algumas dicas para tornar sua estadia em Florença mais saborosa!

- Trattoria Al Trebbio

Essa trattoria virou a nossa queridinha.  Comemos duas vezes nesse restaurantes de tão bom que foi. Pedimos uma bruschetta de entrada e a foto fala por si só. E olha que nem fã de tomate a Rachel é! Na porção vieram quatro bruschettas e o valor foi de 6 euros. Os pratos de massa custam a partir de 7 euros e o mais caro sai por 10,50 euros. A Rachel ficou no tradicional Spaguetti alla Pomarola e não se arrependeu. E vai além: se arrisca a dizer que foi a melhor massa que comeu nesses 17 dias. DIVINO. O Luciano ficou com uma massa Spaccatelli al pesto. O valor do coberto (o couvert deles) é 2,50 euros por pessoa.

Endereço: Via delle Belle Donne, 47/49r
A Bruschetta de entrada

A Bruschetta de entrada

 

o Spaguetti alla Pomodora

o Spaguetti alla Pomodora

Massa ao molho Pesto

Massa ao molho Pesto

O restaurante

O restaurante

 

- Il Pizzaiuolo

Podemos resumir essa experiência (sim, comer uma pizza aqui foi uma experiência de vida) como a melhor pizza da vida. Um lugar simples, com poucos turistas e com pizza no forno a lenha. A pizza é individual mas muito bem servida. É um prato dos grandes. Como fomos na hora do almoço, conseguimos comer cada um uma. Os valores variam de 5 euros, para a pizza mais básica (Marinara) a 10 euros (a mais sofisticada, Bomba). Não anotamos o valor do coperto.

Endereço: Via dè Macci, 113
Pizza de presunto

Pizza de presunto

E a de Pepperoni

E a de Pepperoni

O local

O local

Pizza a lenha

Pizza a lenha

 

- Trattoria Mario

Foi o restaurante mais pitoresco a que fomos na Itália. Lugar muito informal, cardápio escrito à mão nas paredes, gente falando alto e a cozinha dividindo espaço com o diminuto salão. Em razão do tamanho e da fama internacional, formam-se filas na hora do almoço. Nossa primeira recomendação é que você chegue cedo ou se prepare para esperar por uma mesa. Aliás uma coisa interessante do restaurante são as mesas compartilhadas. Se você está sozinho e senta em uma mesa para quatro pessoas, pode ter certeza que terá companhia para sua refeição. Aproveite para fazer amizades e desenferrujar o italiano! Conosco foi assim. O prato que mais sai, sem dúvida, é a famosa bisteca alla fiorentina, considerada a melhor de Florença. E é realmente uma delicia! Você escolhe a peça e o preço é calculado com base no peso (33 euros/kilo). Os “primos piatos”  (geralmente uma massa) custam de 6 a 7 euros e os acompanhamentos para a carne, de 2,50 a 3,00 euros. O coperto custa 0,50 euro.

Confessamos que nem todos vão curtir esse local. O espaço pequeno, apertado, faz a experiência ser exótica. Tem que estar de bom humor e levar na boa. Se você for assim, vai sair igual a nós, super satisfeitos! O nosso único erro aqui foi não tirar foto. Na verdade não conseguimos tirar a câmera. Então só temos duas fotos do celular.

Endereço: Via Rosina, 2
Trattoria Mario

Já dá para ter uma ideia de como é pequeno

Trattoria Mario

A famosa Bisteca

 

Por fim, o Eataly (Via Nizza, 230), é sempre uma boa opção. Para quem não sabe o Eataly é uma rede com lojas em diversas cidades italianas e americanas. É uma espécie de mercado-restaurante: além de encontrar centenas de produtos italianos, como massas, molhos de tomate, temperos, café e chocolates, existem alguns “stands” que funcionam como lanchonetes. Cada um destes tem uma especialidade: carnes, pizzas, saladas, sopas etc. O cardápio muda todos os dias, mas sempre tem uma opção saborosa com um preço razoável.

Além de visitar um dos lugares que indicamos, também se deixe levar, parando onde quiser. Fizemos isso em outros locais e o resultado sempre foi uma boa comida boa. É a Itália! Aproveite e compartilhe sua dica nos comentários.

______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Pisa e Lucca: bate e volta a partir de Florença

Um dos passeios de um dia mais feitos por quem visita Florença é dar um pulinho em Pisa, para conhecer a famosa Torre, emendando com uma voltinha pela cidade medieval de Lucca. Neste post vamos contar nossa experiência.

Saímos do hotel por volta das 9h e fomos direto para a estação de trem. Lá, na hora, compramos as passagens no guichê da Trenitalia em direção a estação Pisa San Rossore (trem regional), a mais próxima da região em que se concentram as principais atrações turísticas da cidade. O trajeto levou cerca de 1h30min a um custo de 9,20 euros por pessoa. No site da Treinatalia é possível pesquisar os horários. Por mais que você não compre com antecedência, assim como nós, você consegue pelo menos ter uma noção dos horários e, assim, otimizar o tempo e se programar.

Estação de trem Pisa

A estação de trem onde para o trem regional

E não é que ela é torta mesmo? ;-)

E não é que ela é torta mesmo? ;-)

Da estação até a torre são cinco minutinhos de caminhada. Quem quiser tomar o trem rápido deverá desembarcar na estação Pisa Central e fazer uma caminhada mais longa ou tomar um táxi até a região da Torre.

Na verdade, a Torre de Pisa é apenas uma das atrações de uma espécie de complexo. Quando for comprar os ingressos, você deve escolher quais atrações deseja visitar. A visita à Catedral é gratuita. As opções de tickets são: 1 monumento/museu – 5 euros, 2 monumentos/museus – 7 euros, 3 monumentos/museus – 8 euros, 4 monumentos/museus – 9 euros. E para subir na Torre custa 18 euros. Os horários para visita variam conforme a época do ano, então o ideal é verificar no site deles: clique aqui.

Nós e a Torre

Como chovia, decidimos não subir a Torre e ficamos apenas nas fotos ali embaixo, visitando os monumentos/museus. Pegamos o ticket de 9 euros. Fique atento: no inverno há uma espécie de pausa para almoço e parte das atividades só retornam às 14h. Aproveitamos esse tempo para conhecer o  Museo Opera del Duomo.

 Museo Opera del Duomo

Museo Opera del Duomo

Além da Torre, recomendamos muito a visita à Catedral, ao Batistério e, principalmente, ao Cemitério. O local possui afrescos antiquíssimos, que vem sendo restaurados, e chegou a ser bombardeado durante a Segunda Guerra Mundial. Ainda é possível ver vestígios do bombardeio.

Pisa

O “complexo”

Batisterio

Batisterio

Duomo de Pisa

Torre de Pisa

Cemitério

Cemitério

Terminada nossa visita, fizemos um lanche no McDonald`s, que fica na entrada desse “complexo”, compramos algumas lembrancinhas com um imigrante de Bangladesh (que nos disse que ia torcer para o Brasil na Copa) e voltamos à estação de trem para irmos a Lucca. Observe as placas para descobrir de qual plataforma segue o trem para lá e, se necessário, pergunte a um funcionário ou a algum passageiro. A sinalização nessa estação não é muito clara. O trajeto dura de 20 a 30 minutos e a passagem custa 3,40 euros.

Saindo da estação de Lucca, você logo verá a muralha que cerca a cidade. É só seguir por ela até encontrar uma passagem.

A área sobre a muralha é um grande parque, com muitas árvores e pessoas caminhando. Logo descemos e fomos caminhando pela cidade, sem muitas pretensões, em razão do tempo ruim. Logo que a chuva apertou voltamos para a estação de trem e retornamos a Florença. A passagem de Lucca para Florença custou 7,10 euros e o trajeto levou cerca de 1h40min.

Lucca antes do temporal

Lucca antes do temporal

Uma pena! Não ficamos mais que uma hora em Lucca, e a cidade é tão linda..  Como vocês podem ver também não tiramos fotos, aliás tiramos uma única, essa acima. A chuva foi tão forte que atrapalhou tudo. Esperamos um dia voltar e poder fazer muito mais que uma day trip!

______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

7 tipos de pessoas com quem não gostamos de viajar

Viajar é uma delícia! Conhecer um lugar diferente, fugir da rotina, provar novas comidas… Sempre voltamos de nossas viagens contando os dias para a próxima. Mas se há uma parte chata da viagem, é o voo. E não falamos isso por causa da qualidade dos aeroportos ou da má prestação de serviço por parte das companhias aéreas, mas por causa das pessoas. Às vezes temos a impressão de que viajar libera o “eu interior” do sujeito que simplesmente entende que pode fazer o que bem entender por estar pagando.

Resolvemos então fazer a lista dos passageiros com quem é mais difícil conviver, seja numa ida ao Japão, seja numa ponte aérea.

  • Gente que chega atrasada no check-in

Rachel foi para o Rio ontem, em meio a uma greve do metrô em São Paulo. Sabendo que o trânsito em São Paulo estaria um caos, decidimos sair de casa bem cedo, de modo a evitar qualquer possibilidade de perder o voo. Chegamos lá e a Rachel fez o check-in tranquilamente, quando chega uma passageira indignada porque a companhia aérea encerrou o check-in no horário programado. Segundo ela, a Gol deveria ser mais tolerante em um dia de trânsito caótico. Ou seja, “segura o voo enquanto a dondoca não chega para o embarque”. Fala sério!

  • Gente que não despacha mala

Você embarca com a sua mochila. Ao chegar no seu assento, descobre que o bagageiro está ocupado por uma mala do tamanho de um caminhão e você vai precisar viajar com a mochila nos pés, naquele assento já apertado. Ódio mortal! Para quem não sabe, as limitações de peso e tamanho para bagagem de mão são uma questão de segurança, influindo no peso do avião e no cálculo do combustível. Além disso, todos os passageiros precisam acomodar suas bagagens. Se você usa espaço demais, falta espaço para o coleguinha. A menos que você tenha comprado dois bilhetes, atenha-se aos limites estabelecidos no contrato e na legislação.

Nada como uma saída de emergência para esticar as pernas!

Nada como uma saída de emergência para esticar as pernas!

  • Gente que trata os funcionários da companhia aérea como serviçais

Não tem gente mais chata do que pessoas que tratam os comissários de voo como serviçais. Mal sentam no assento, pedem água, refrigerante, café, biscoito… Não esboçam um sorriso, não agradecem o serviço prestado e, caso não sejam atendidos, esbravejam lembrando aos pobres funcionários da companhia aérea que é o passageiro que paga o salário dele e, por isso, merece melhor consideração. De fato, os comissários devem tratar bem os passageiros, mas gentileza e bom senso não fazem mal a ninguém.

Uma cena que vimos hoje no aeroporto. Uma funcionária da companhia aérea se ofereceu para ajudar um idoso que prontamente respondeu, aos berros: “é melhor você não se meter porque eu já contei a história para outra pessoa”. Educação zero!

  • Gente que reclina o encosto em momentos inapropriados

Todo mundo sabe que, para o pouso e a decolagem, os encostos devem estar em posição vertical. Mas a quantidade de gente que, mal senta no avião, já reclina o encosto é absurda. Ora, se o encosto precisa estar na posição vertical, qual a razão de não esperar até que o avião esteja em altitude de cruzeiro? Também é bastante desagradável fazer a refeição com o assento da frente sobre a sua comida, mal conseguindo mexer os braços.

  • Gente que puxa conversa quando estamos prestando atenção a outra coisa

Você está cochilando, ou lendo, ou com o fone de ouvido. O que isso significa? Que não quer conversar! E aí vem aquele chato querendo falar mal do governo, ou contar da azia do sogro, ou contar piadas sem a menor graça. Não que uma conversa não possa ser agradável, mas se a pessoa está com a sua atenção voltada para outra coisa, provavelmente ela não quer fazer uma nova amizade.

  • Gente que não sabe sentar

Também é muito chato viajar com gente que fica empurrando o assento. Tem gente que passa o voo todo chutando o encosto do banco da frente. Há também os espaçosos, que abrem as pernas e os braços de forma a inviabilizar qualquer movimento do passageiro ao lado (especialmente daqueles que estão na poltrona do meio). Por fim, aqueles que se levantam se puxando tanto a cadeira da frente que você tem a sensação de que o assento vai virar.

  • Gente que só sabe reclamar

Esse é, sem dúvida, o mais insuportável de todos. O cara reclama da fila do check-in, da roupa da comissária, das instruções de segurança, do tamanho do assento, da qualidade da refeição servida em voo, do bebê chorando, das turbulências, do pouso, do ônibus da Infraero, da fila da imigração, da espera das malas, da fila do táxi… Enfim. É aquele sujeito cujo mal humor é tão insuportável que férias são apenas a oportunidade de destilar sua rabugice em algum lugar longe de casa. A frase mais utilizada por esse sujeito, pelo menos até dia 12/06, é: “Imagina na Copa”.

E você? Já passou algum inconveniente por causa de um passageiro inconveniente? Ou se identifica com alguma das categorias acima? Deixe seu comentário!

______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Onde se hospedar em Florença

Não pudemos escolher nosso hotel em Florença (e isso foi uma coisa boa). Como nessa viagem fomos com a irmã da Rachel, Camilla, o pai delas acabou dando de presente de Natal essa hospedagem. Ele tinha chegado recentemente da Itália, gostado muito desse hotel e resolveu nos dar  essa estadia.

O Hotel Cerretani fica muito bem localizado, a uns 150 metros da Duomo de Florença. Perto de mercados, lojas e a uns 200 metros da estação de trem. Tudo realmente está bem próximo. A localização é maravilhosa. O hotel é 4 estrelas.

Hotel Cerretani Firenze

Hotel Cerretani Firenze

O sofá cama

Hotel Cerretani Firenze

Nós ficamos em um quarto triplo. A solução que nos deram foi uma cama de casal normal e um sofá cama, em uma sala. A Camilla não curtiu muito o sofá-cama mas quebrou o galho para as 5 noites. A nossa cama de casal era ótima. Lençol de excelente qualidade e havia uns 4 travesseiros disponíveis. O tamanho do quarto era bom. Poderia ter sido um pouquinho maior, mas nos viramos bem. Um detalhe que gostamos bastante foi o fato da janela abrir. Como fomos no inverno, dava para sentir o clima antes de sair e se preparar pro frio.

O banheiro era ótimo. Espaço enorme. Acabamos esquecendo de tirar fotos mas ele era bem grande. Havia duas pias e uma bancada enorme.

O café da manhã estava incluído na nossa diária e era bem gostoso. Várias opções de frutas, pães, frios, iogurte, sucos etc. Havia café passado mas você pode pedir ao garçom um chocolate quente ou capuccino, por exemplo. Ah, e para as meninas teve o ponto alto, Nutella. Ela vinha em porções individuais, como manteiga, sabe? O melhor do café era essa Nutella com croissant. Uhm!!

O Staff foi bem atencioso. A Camilla precisou de atendimento médico devido a um probleminha na coluna/pescoço e eles nos ajudaram bastante. Ligaram para o seguro, nos ajudaram no mapa. Excelente!  O hotel disponibiliza guarda-chuvas para todos os hóspedes o que foi muito útil considerando que choveu quase todos os dias em que estivemos por lá.

Na nossa diária a internet estava inclusive, mas era preciso um login e senha gerados na recepção. A internet tinha boa qualidade e pegava em todas áreas do hotel. O único inconveniente era a necessidade de refazer o login quando ficasse um tempo longo de inatividade.

No geral gostamos bastante. O hotel era muito bonito, confortável e seu ponto forte, sem dúvidas, é a localização.

Para fazer sua reserva no Booking clique aqui.

Hotel Cerretani Firenze
Endereço: Via De’ Cerretani 68 - 50123
Telefone: (+39)055/2381301
 
______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Top 5 da nossa Wish List

Recentemente a Rachel entrou em um grupo no Facebook chamado Viagens em Família. Apesar de ainda sermos uma família de apenas duas pessoas, achamos muito válidas as dicas ali e aprendemos muito no grupo. Hoje nós vimos que estava rolando uma blogagem coletiva e resolvemos participar. O tema? Os top 5 destinos da nossa wish list! Então vamos lá…

1 – Maldivas

Basta uma pesquisa rápida nas imagens do Google para descobrir porque as Ilhas Maldivas estão no nosso top five. Trata-se de um arquipélago no Oceano Índico com centenas de ilhas, praias de areia branca e mar azul turquesa. Nossa intenção é fazer essa viagem quando estivermos comemorando dez anos de casados, já que é um dos destinos mais românticos do mundo.

Maldivas

2 – Croácia

Nosso desejo de conhecer a Croácia é muito pessoal. Assim que decidimos casar, Rachel cismou que queria passar nossa lua de mel por lá. A Croácia ainda não era tão popular e todos nos perguntavam o que queríamos fazer por lá. Quando resolvemos estender a viagem até a Bósnia então… Mas acabou que nossa lua de mel foi em Paris e Londres. Hoje já sabemos que a Croácia tem um dos litorais mais belos da Europa e que Zagreb é uma cidade encantadora.

Split

Split

3 – Machu Picchu

Talvez esse seja a viagem mais fácil de se realizar. Tão perto, mas sempre aparece algo na frente e ela vai ficando para depois. Esse vontade vem muito da Rachel que desde que viu a primeira foto de lá se apaixonou. Apesar de Machu Picchu levar a fama, a vontade é de conhecer todo o Peru: Lima e Cuzco entrarão, com certeza! Mas o charme dessa cidade pré-colombiana muito nos encanta!

Foto de audrey_sel

Foto de audrey_sel

4 – Transiberiana

Essa é a viagem dos sonhos do Luciano. Cruzar a Rússia quase inteira, passar pela Mongólia, chegando até a China, tudo sobre trilhos. O desejo de fazer essa viagem vem da mística em torno da ferrovia e o desejo de conhecer paisagens e culturas bastante diferentes daquela a que estamos habituados. É uma viagem que vai exigir certo planejamento e uma poupança, a fim de evitar passar perrengues no interior da gelada Rússia.

Uma das ferrovias

Uma das ferrovias

5 – Terra Santa

Por fim, Israel e Palestina. Como somos cristãos praticantes, a Terra Santa é um dos nossos destinos mais desejados. Queremos conhecer os lugares por onde Jesus passou, além, é claro, de conhecer as belezas da região e os inúmeros locais sagrados para judeus e muçulmanos. Certamente voltaremos emocionados de lá.

Santo Sepulcro

Santo Sepulcro

Agora é trabalhar e realizar todos esses sonhos!!  :-)

Não deixe de conferir os outros participantes!

1. Eder Rezende – Quatro Cantos do Mundo: http://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2014/05/25/top-5-da-minha-wish-list/

2. Claudia Bins – Mosaicos do Sul: http://mosaicosdosul.blogspot.com.br/2014/05/blogagem-coletiva-os-5-lugares-na-minha.html

 3. Adriana Pasello – Diário de Viagem: http://www.diariodeviagem.com/photo/blogagem-coletiva-5-destinos-bucket-list/

 4. Sut-Mie Guibert – Viajando com Pimpolhos: http://viajandocompimpolhos.com/2014/05/25/nosso-top-5-destinos-desejados-do-momento/

 5. Carlos Augusto Monteiro – Para a Disney e Além: http://www.paraadisneyealem.com.br/2014/05/blogagem-coletiva-os-top-5-da-nossa.html

 6. Valéria Beirouth – It Babies: http://beirouth.wordpress.com/2014/05/25/blogagem-coletiva-top-5-da-nossa-listinha-de-viagens/

 7. Márcia Tanikawa – Os Caminhantes: http://oscaminhantes.com/2014/05/blogagem-coletiva-wish-list.html

 8-Patricia Longo Tayão – Viajar hei: http://www.viajarhei.com/2014/05/lista-de-lugares-para-conhecer.html

 9 – Liliane Inglez – Trilhas e Cantos: http://www.trilhasecantos.blogspot.com.br/2014/05/os-top-5-da-minha-wish-list.html

 10 – Francine Agnoletto – Viagens que Sonhamos - http://www.viagensquesonhamos.blogspot.com.br/2014/05/viagens-que-sonhamos-top-5-da-nossa.html

 11- Elaine Castro- Viagem Massa http://viagemmassa.com/2014/05/25/a-viagem-dos-sonhos-ou-metas-nosso-top-5-para-o-futuro/

 12 – Cássia Virgens  - http://fomosjuntosdemalasprontas.blogspot.com.br/2014/05/lista-dos-sonhos-5-viagens-para-mudar.html

 13-Regeane Nicaretta- Dicas da Rege.http://dicasdarege.com/2014/05/25/top-5-da-minha-wish-list-blogagem-coletiva/

 14 – Cristiane Martins – Dias Viajando por Aí: http://diasviajandoporai.blogspot.com.br/2014/05/blogagem-coletiva-top-5-da-minha-wish.html

 15 – Andrea Barros – Do RS para o Mundo - http://dorsparaomundo.blogspot.com.br/2014/05/top-5-da-minha-wish-list-bem-nem-so-da.html

 16 – Flávia Peixoto – Viajar é tudo de bom - http://www.viajaretudodebom.com.br/2014/05/25/bucket-list-top-5-de-viagens-com-as-criancas/

 17 – Luciana Misura – Colagem - http://luciana.misura.org/2014/05/25/top-10-destinos-da-nossa-bucketlist-de-familia/

 18 – Camila Marquim – Mando um Postal - http://mandoumpostal.com.br/2014/05/top-5-desejos-de-viagem-do-mando-um-postal-blogagem-coletiva/

 19 – Erica Piros Kovacs – Viagem com Gêmeos -http://viagemcomgemeos.com/2014/05/25/blogagem-coletiva-os-5-lugares-que-sonhamos-conhecer/

 20- Andreza Trivillin – Andreza Dica e Indica Disney - http://www.andrezadicaeindicadisney.com.br/2014/05/blogagem-coletiva-destinos-top-5-da.html

 21 – Patricia Monahan – Our Whole Village: http://ourwholevillage.com/pt/blog/blogagem-coletiva-top-5-destinos-da-nossa-wish-list/

 22 – Andrea e Luciano – Malas e Panelas: http://malasepanelas.com/os-x-mais-da-nossa-lista-de-destinos/

 23 – Débora Galizia – Viajando em Familia: http://viajandoemfamilia.com.br/blogagem-coletiva-top-5-wish-list-tahiti-hawai-londres-canada-e-australia/

 24 – Bella Gonzaga Morassi – MãeMimi: https://www.youtube.com/watch?v=8yETnacJLN8

 25 – Ana Luiza Fragoso – Oxente Menina: http://www.oxentemenina.com/2014/05/5-lugares-para-conhecer-ja/

 26 – Patricia Papp – Coisas de Mãe: http://coisasdemae.wordpress.com/2014/05/26/onde-ir-com-criancas-os-5-lugares-da-minha-wish-list/

 27. Lucia Malla – Uma Malla pelo Mundo: http://www.luciamalla.com/blog/2014/05/meus-top-5-destinos-mais-desejados-momento.html

 28. Rebeca Meyer – Matheus Viajando: http://matviajando.wordpress.com/2014/05/26/blogagem-coletiva-5-destinos-em-familia/

29. Debora G Segnini – Gosto e Pronto: http://www.gostoepronto.com/2014/05/blogagem-coletiva-top-5-dos-destinos-desejados/

30 – Cynara Vianna – Cantinho de Ná: http://cantinhodena.com.br/2014/05/27/top-5-de-nossa-wish-list-de-viagens-em-familia/

 
 
______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Publieditorial: Conheça o famoso pôr do Sol e algumas das melhores pousadas em Boiçucanga

A praia e bairro de Boiçucanga ficam localizados no município de São Sebastião. A 160 quilômetros de São Paulo, é uma praia destinada especialmente aos olhos dos admiradores de belas paisagens e fenômenos, já que tem o pôr do Sol mais bonito do litoral Norte. O Roteiro de Turismo apresenta as facilidades e belezas naturais de um bairro bem estruturado para receber os turistas, que conta com shopping, várias opções de restaurantes e lojas, além de uma grande variedade de pousadas em Boiçucanga.

Boiçucanga

Boiçucanga acaba sendo privilegiada com relação ao pôr do Sol, pois é uma das poucas praias do Brasil onde o Sol se põe no mar. Isto acontece no canto direito da praia, em um cenário que inclui as ilhas Montão de Trigo, dos Gatos e das Couves, garantindo uma famosa cena de cinema, onde as pessoas podem apenas sentar para admirar a ocasião.

As areias da praia são amarelas e fofas, e ficam lotadas na medida em que o Sol começa a se pôr. Muitas pessoas chegam à praia apenas para apreciar o fenômeno, inclusive àqueles que estão visitando outras praias de São Sebastião como Maresias, Juquehy e Camburi, ou seja, apesar da distância não perdem a oportunidade de presenciar este evento da natureza. O espetáculo é tão bonito que as pessoas chegam a aplaudir, quando o Sol desaparece no mar.

Pôr do sol

A praia de Boiçucanga mantém a tradição dos seus antepassados, já que abriga a Vila dos Pescadores, que vivem a partir da grande variedade de peixes, encontrada ao lado do rio. Os visitantes mais aventureiros se entregam à Praia Brava de Boiçucanga, e para àqueles que gostam de passeios, não faltam opções de compras e lazer, pois esta praia também ganhou outro reconhecimento, tornando-se o maior centro comercial e de serviços da costa sul de São Sebastião.

A praia

Hoje, já é uma das praias de maior infraestrutura da região, contando com centros comerciais, campings, hotéis e pousadas, além de restaurantes, supermercados e shoppings. Sem muita preocupação, os turistas também encontram facilmente pronto-socorro e cartório. Mas, além das opções de lazer e serviços que foi construindo com o tempo, a praia nunca deixará de ser conhecida pelo seu fenômeno natural, onde os visitantes se impressionam com o pôr do sol, que apesar de acontecer todos os dias, é como se fosse à primeira vez para quem vê.

Shopping

Boiçucanga

Como chegar em Boiçucanga

Para chegar até Boiçucanga, partindo de São Paulo ou Rio de Janeiro basta seguir pela Rodovia Ayrton Senna/ Carvalho Pinto até a cidade de Mogi das Cruzes, então descer a serra pela Rodovia Mogi – Bertioga até chegar na Rodovia Rio – Santos. Na estrada beira mar é necessário seguir em direção ao centro de São Sebastião. Para maiores informações sobre restaurantes e pousadas em Boiçucanga basta acessar:  http://www.roteirodeturismo.com.br/hoteis-e-pousadas/sao-paulo/boicucanga/

***  Esse artigo é um publieditorial.

Dois dias em Veneza – parte dois

Esta é a segunda parte do relato de nossa viagem à Veneza. Para acessar a primeira parte, clique aqui.

No sábado acordamos cedo e fomos logo bater perna pela cidade. Começamos tirando fotos dos canais e das ruelas da cidade. Algumas são tão estreitas que é possível se pendurar nas paredes.

Pelas ruas de Veneza

Pelas ruelas de Veneza

DSC_0059

Camilla posando para uma ótima foto jacu

Nosso primeiro ponto de parada foi a Scuola Grande di San Rocco, que abriga obras de Tintoretto. Luciano pagou dez euros e Rachel, por ser menor de 26 anos, oito euros.

Scuola Grande di San Rocco,

Scuola Grande di San Rocco,

Nossos ingressos

Nossos ingressos

Continuando nossa caminhada, avistamos uma espécie de barraca de feira dentro de um barco, e compramos uns morangos enormes e deliciosos!

Os morangos deliciosos!

Os morangos deliciosos!

Fomos então até a Accademia (o ingresso custa 15 euros). O museu tem por foco a arte veneziana abrangendo desde o período bizantino até o século XVIII.

Accademia

Accademia

Em frente à Accademia há uma ponte de onde é possível tirar fotos lindíssimas do Grande Canal. Aqui um senhor muito simpático nos abordou e se ofereceu para tirar fotos. Pena que, ao final, pediu dinheiro pelo serviço. Nessa ponte há muitos cadeados com os nomes de casais apaixonados.

Alguns dos cadeados

Alguns dos cadeados

Descendo a ponte, vimos uma gôndola encostada e resolvemos consultar o gondoleiro. Fechamos o passeio por 60 euros. O percurso é lindíssimo e vale muito a pena! Mas como não estávamos próximos da San Marco, não passamos por baixa da Ponte dos Suspiros, como desejávamos.

Veneza e seu romance! <3

Veneza, seu romance e nós! <3

A vista pelo canal é muito bonita.

A vista pelo canal é muito bonita.

Findo o passeio, caminhamos até a Praça San Marco. Dali, fomos para a “orla” de Veneza. É um espaço lindíssimo, com diversos cafés, lojas de souvenires e até um parquinho para as crianças. Conseguimos fotos belíssimas ali.

Lindo, não?

Lindo, não?

Frio? Imagina..

Frio? Imagina..

Os barcos

Os barcos

Chegamos, então, ao belíssimo Palazzo Ducale. O ingresso custa 16 euros, mas vale a pena! Fundado no século IX, sofre intervenções nos séculos XIV e XV, resultando na sua aparência de hoje. O palácio guarda inúmeras obras de arte. Não deixe de passar pela Ponte dos Suspiros. Esta ponte recebe este nome por ser o local por onde os condenados suspiravam por saber ser a última vez que veriam a luz do dia.

Palazzo Ducale

Palazzo Ducale

Palazzo Ducale

Palazzo Ducale

Ponte dos Suspiros

Ponte dos Suspiros

Início da noite paramos em uma confeitaria para tomar um café e esperar a hora de irmos à Chiesa della Pietà, para assistir a “Quatro Estações” de Vivaldi, interpretada por músicos venezianos.

“Quatro Estações” de Vivaldi

“Quatro Estações” de Vivaldi

Terminada a apresentação, e já exaustos, tomamos o Vaporetto rumo ao hotel. No dia seguinte, nosso destino foi Verona. Para ler sobre nosso passeio a Verona, clique aqui.

 
______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Um passeio pelo Centro do Rio de Janeiro

Para quem não sabe, o Rio de Janeiro é nossa terra natal. E não, não íamos à praia todos os dias. O Rio é muito mais do que as praias da Zona Sul. A cidade vem se esforçando para se consolidar como um destino cultural e o Centro é a prova que o Rio tem muito mais a oferecer para além de praias, Maracanã e Carnaval.

A nossa sugestão de roteiro começa pelo MAM (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro). Inaugurado em 1948 e com localização privilegiada no Parque do Flamengo ou, para os cariocas, Aterro do Flamengo, seu acervo é riquíssimo e relata o contexto econômico e cultural do Brasil do pós-guerra. O passeio é bem agradável e a vista pro Aterro é linda. Aliás, esta vista é uma das preferidas da Rachel. Perde-se o fôlego admirando a beleza da cidade maravilhosa.O ingresso custa 14 reais. Para maiores detalhes acesso o site do MAM aqui.

Saindo do MAM, pertinho, está a famosa Cinelândia. Ali temos, por exemplo, o Cine Odeon, último dos grandes cinemas construídos na região, o Palácio Pedro Ernesto (onde funciona a Câmara de Vereadores do Rio), a antiga sede do Supremo Tribunal Federal (hoje Centro Cultural da Justiça Federal). Os destaques, no entanto, ficam com a Biblioteca Nacional, o Teatro Municipal e o Museu de Belas Artes. Você não precisa entrar em todos, mas vale pelo menos admirar a arquitetura.

Nativoo

Nativoo

A Biblioteca Nacional é a sétima maior do mundo. Não precisa nem dizer que dá para passar horas lá dentro. Para se ter uma ideia, qualquer livro publicado no Brasil deve ter uma cópia enviada para lá. A Biblioteca está aberta de segunda a sexta, das 9h às 20h e aos sábados, das 9h às 15h.

O Teatro Municipal tem um importante papel para o Rio de Janeiro. Diversos artistas importantes já estiveram em seus palcos. Recentemente foi visitado pelo Papa Francisco. Também foi palco de famosas orquestras e balés. Há opção de fazer visitas guiadas, que acontecem de terça à sexta, às 12h, 14h, 15h e 16h. Sábados e feriados, às 11h, 12h e 13h. O ingresso custa 10 reais. Para maiores informações acesse o site aqui.

Teatro Municipal

Teatro Municipal

O Museu de Belas Artes é um dos museus mais importantes do Rio. Seu acervo vem desde a chegada da família real portuguesa ao Rio de Janeiro. Atualmente possui mais de 15 mil peças entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras. Está aberto a visitação de terça à sexta, das 10h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.

Pausa para o almoço. Por se tratar de uma área comercial, há muitas opções de restaurantes com bons preços, mas a maioria deles não abre nos finais de semana.

Continue sua visita pelo Paço Imperial, que fica localizado na Praça XV. O edifício foi residência dos governadores da Capitania do Rio de Janeiro e chegou a ser casa do Rei de Portugal, Dom João VI, no século XVIII. É considerado um dos edifícios mais importantes do Brasil colonial. Atualmente funciona como Centro Cultural.

Suba a Rua Primeiro de Março em direção a Cinelândia e tome um café no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil). O ambiente é agradável e sempre há alguma exposição, além da excelente livraria. Funcionamento de quarta a segunda, das 9h às 21h. Para ver a programação completa acesse o site aqui.

Última vez que estivemos no CCBB

Última vez que estivemos no CCBB

Pertinho dali está a Igreja da Candelária. É uns dos templos da Igreja Católica mais famosos do RJ. Está associado a dois acontecimentos históricos:  Comício da Candelária, movimento das Diretas Já, e a Chacina da Candelária, um massacre de moradores de rua ocorrido em 1993.  A Candelária é uma das principais obras de artistas brasileiros do século XIX.

O MAR (Museu de Arte do Rio) é o mais novo museu da cidade. Novinho e com um ótimo acervo, é o tipo de passeio que nós adoramos. Com quatro andares sendo um totalmente dedicado a história da cidade, você também encontra exposições de arte contemporânea. O MAR funciona de terça a domingo, das 10h às 17h. O Ingresso custa 8 reais, mas toda terça a entrada é gratuita. Para maiores informações acesso o site aqui.

Para quem quiser um programa mais popular, uma boa sugestão o SAARA, uma espécie de Rua Vinte e Cinco de Março carioca. É o grande Mercado Popular carioca. Aqui você encontra de tudo um pouco em suas mais de 600 lojas.

É certo que em apenas um dia você não conseguirá aproveitar todas as atrações. Não incluímos diversos outros pontos de interesse do Centro, como a Academia Brasileira de Letras e o Museu Histórico Nacional. Selecione aquelas que forem de maior interesse e aproveite!  O Centro do Rio tem seu charme!

Nós utilizamos o site Nativoo. Ele faz exatamente essa parte de montar o roteiro. Nós usamos bastante a versão que eles tem para smartphone (Android e Ios) pois você consegue acessar offline.

E você? Tem alguma sugestão? Deixa aqui nos comentários.


______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Dois dias em Veneza – primeira parte

No post de hoje vamos contar como foi nosso primeiro dia em Veneza: a chegada a cidade, a compra de chip para celular e nossa visita a Piazza San Marco.

Chegamos no Aeroporto Marco Polo, em Veneza, no dia 24 de janeiro, na hora do almoço. Ficamos ali no saguão esperando a irmã da Rachel, que vinha de Lisboa. Já ali existem diversas máquinas onde é possível comprar os bilhetes para utilizar o transporte público em Veneza. Decidimos comprar apenas o bilhete de ida até a cidade, ao custo de seis euros. Também existe a opção de comprar o bilhete de ida e volta, ao custo de onze euros.

Primeira foto em solo italiano

Primeira foto em solo italiano

Além do ônibus, há a opção de chegar a Veneza por meio de táxi aquático (o que logo desconsideramos em virtude do preço), além de transporte público aquático. Como estávamos com malas e as linhas aquáticas que partiam do aeroporto não passavam perto do hotel, optamos pelo ônibus mesmo.

Como ficaríamos apenas um dia e meio na cidade (já que passaríamos um dia em Verona), entendemos que não valia a pena comprar os tickets do vaporetto. Para quem não sabe, o vaporetto é o meio de transporte público em Veneza, uma espécie de barca pequena, que corta os canais da cidade. Quando você compra o bilhete do ônibus para Veneza, existe a possibilidade de incluir o acesso ilimitado ao vaporetto por determinado período de tempo. Além do preço ser salgado, sabíamos que se comprássemos os bilhetes acabaríamos ficando com preguiça de andar. Acabou sendo uma decisão sábia, já que Veneza é melhor explorada a pé!

As ruelas fascinantes!

As ruelas fascinantes!

Nossa selfie na Praça San Marco

Nossa selfie na Praça San Marco

Assim que você sair do aeroporto, verá as placas indicando os pontos de ônibus que saem em direção a Veneza e Mestre. Haverá umas máquinas amarelas onde precisará validar seu bilhete. Basta inseri-lo na máquina e ouvirá um barulho de autenticação mecânica.

Os ônibus saem, em média, de meia em meia hora, mas devido ao grande número de turistas colocaram ônibus extras. Não demorou muito e estávamos a caminho de Veneza.

O ônibus vai até a Piazzale Roma, já que dentro de Veneza propriamente dita não é possível a circulação de carros, ônibus e motos. Como nosso hotel ficava perto da Estação Santa Lúcia, não precisamos andar muito. Bastou cruzarmos a Ponte della Constituzione para estarmos em frente a estação de trem e dali mais uns 200 metros até o hotel. Também já falamos do hotel nesse post. Foi um pouco chato cruzar a ponte e seus degraus com as malas, mas nada que chegasse a ser um transtorno.

Fizemos o check-in no nosso hotel e logo fomos bater pernas. Caminhando pela cidade, paramos numa loja Wind (uma operadora de telefonia) e compramos chips para os smartphones. Eles ofereciam planos de dados ao custo de 25 euros, com 2GB de franquia e validade de 30 dias. O plano de 4GB saiu por 30 euros. Pediram apenas para tirar uma cópia do passaporte e os próprios funcionários configuraram o aparelho. Não vimos necessidade de fazer um plano de voz, já que pela internet é possível ligar para o Brasil por um custo muito inferior, quando não gratuitamente. Já falamos sobre isso nesse post.

Depois disso, resolvemos caminhar rumo à Piazza San Marco, o principal ponto turístico de Veneza. No caminho, uma parada rápida para o almoço.

Chegamos na Piazza San Marco já quase no fim da tarde. Iniciamos nosso roteiro pela Basílica de San Marco, mas fomos impedidos de entrar. Era preciso, primeiramente, deixar as mochilas em um depósito, numa rua lateral. Guardadas as mochilas e comprados os ingressos, entramos na belíssima igreja. Aproveite para ir até a parte superior e tirar fotos da praça de cima da igreja.

Piazza San Marco

Piazza San Marco

Piazza San Marco

Piazza San Marco

Na praça já a noite

Na praça já a noite

A praça ainda tem outros pontos muitos conhecidos de Veneza, como a Torre do Relógio e o Campanário.

Como era inverno, a noite caiu cedo e estávamos bem cansados da viagem. Decidimos retornar ao hotel. Aproveitamos para fazer uma parada em um mercadinho e economizar nas refeições. Compramos alguns produtos tipicamente italianos, como queijos, presunto de parma e biscoitos, além de água. A rede COOP tem várias lojas espalhadas por Veneza e o preço é bem em conta.

Assim terminamos esse primeiro dia em Veneza. Andamos muito e a primeira impressão foi encantadora.

______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.