Como escolher um seguro viagem

07 out 2014

Sem dúvidas um dos itens mais importantes em uma viagem é a escolha de um bom seguro. Nós viajamos muito e o seguro é o item em que menos economizamos, mesmo quando a viagem está com um orçamento muito apertado. Nessa nossa vida viajante,  já precisamos usar e, graças a Deus, foi tudo ótimo. Reunimos nesse post algumas dicas e informações importantes na hora de escolher um seguro viagem.

Como escolher um seguro viagem?

Essa pergunta é bem difícil de responder. Como não há uma regulamentação que diga tudo o que um seguro viagem precisa cobrir, as seguradoras costumam, cada uma, oferecer proteções diferentes. A regulamentação que existe é apenas para as coberturas obrigatórias. Então, sempre que você for fechar um seguro viagem, leia item por item e compare com os outros orçamentos. Por exemplo, há empresas que possuem concierge, outras não cobrem acidentes com esporter radicais (como esqui ou saltos de paraquedas) etc.

Você deve estar atento ao valor das coberturas. Há diversos valores disponíveis no mercado e, em regra, quanto maior o preço maior a cobertura. Então quando for comparar um orçamento, verifique se está comparando coberturas iguais ou pelo menos semelhantes.

Coberturas

Esse item é o que gera mais dúvidas. A cobertura indica o valor até o qual a seguradora se responsabiliza. Por exemplo: suponhamos que você contrate um seguro no valor de 7.000 dólares. Se você sofre um acidente, vai ao hospital e, após os procedimentos, sua conta for de 7.500 dólares,  o valor excedente, 500 dólares, deverá ser pago por você e não pela segurado. Se seu seguro tivesse uma cobertura de  15 mil dólares, você não pagaria nada. Assim como para esta cobertura principal, há limites para, por exemplo, compra de medicamentos. Leia sempre a sua apólice e veja esses limites.

Mas aí surge a pergunta: Qual a cobertura ideal? A resposta é simples: aquele com maior cobertura. Mas será que é necessário mesmo sempre comprar o melhor? A grande verdade é que se pudéssemos prever acidentes e doenças tudo ficaria mais fácil. Mas como a realidade é outra, temos que nos precaver. Não achamos que valha a pena adquirir o seguro com a cobertura inferior. Nós procuramos investir em uma cobertura intermediária. Se você for estiver com problemas de saúde, procure adquirir seguros com coberturas maiores.

Europa e Acordo de Schengen

Muitas pessoas desconhecem, mas alguns países da Europa (signatários do Acordo de Schengen) exigem dos turistas brasileiros um seguro de, no mínimo, 30 mil euros. Nem sempre o fiscal pede, mas, sendo obrigatório, se for solicitado e você não apresentar poderá ter sua entrada no país negada e ser mandado de volta ao Brasil. Os países participantes desse acordo de Schengen são: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Itália, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal e Suécia. Então se você vai a um desses países, fique atento à cobertura para se encaixar na exigência.

Seguro do cartão de crédito

Muitas pessoas tem utilizado o seguro que os cartões de crédito Visa e Master Platinum/Infinite/Black oferecem. Nós particularmente não gostamos de usá-los porque normalmente esse tipo de seguro exige que o portador do cartão pague as despesas antecipadamente e solicite o reembolso no retorno da viagem. Como adquirimos o seguro com empresas especializadas, nas vezes em que acionamos o seguro não precisamos pagar pelo atendimento médico, mas apenas os medicamentos prescritos (comprados na farmácia). Preferimos não economizar no seguro e ficar tranquilos de que não precisaremos desembolsar nada na hora de um eventual atendimento. Convenhamos que uma despesa inesperada pode até encerrar a viagem.

Como acionar o seguro

Caso haja necessidade de atendimento, as seguradoras recomendam que você entre em contato para que seja indicado um médico ou hospital. Normalmente na apólice constam diversos telefones (com indicação dos países) para você entrar em contato com a administradora. Então, o ideal é ligar em um desses telefones e pegar a orientação com a central de atendimento. Existe também a possibilidade de o médico ir até o seu hotel. Algumas seguradoras também possuem serviço de tradução que permitem o diálogo com o profissional de saúde.

Veja nosso relato de como foi acionar o seguro na Turquia: “Como usar o seguro viagem da Assist-card“.

Reembolso

Lembre-se de sempre guardar as notas fiscais para o reembolso de remédios. Em geral são exigidos o cupom fiscal e a receita médica.  Fique de olho nos prazos porque não costumam ser muito extensos. Há empresas que reembolsam até o táxi que você usou para se deslocar à clínica.

Uma outra dica importante. Algumas seguradoras só oferecem indenização em caso de cancelamento de voo quando o seguro é feito com um período mínimo de 15 dias de antecedência. Ou seja, se a sua viagem estiver marcada para o dia 30 de outubro, o ideal é fazer o seguro até o dia 14 de outubro, porque caso seu voo seja cancelado ou aconteça algo que te empeça de viajar, você terá o valor da indenização. Caso tenha feito com menos de 15 dias, o seguro não te indenizará.

Como escolher um seguro viagem

Foto depois do atendimento em Florença

 

Há diversas empresas boas no mercado.  O ideal é sempre perguntar para quem já utilizou esse serviço e pedir referencias. Mas acreditamos que uma boa leitura da apólice também pode ser a chave para uma boa compra.

Não esqueça da nossa parceria com a Seguros Promo e faça já a sua cotação! Leitor do blog tem 5% de desconto em qualquer seguro, basta usar o cupom VIAGEMADOIS5.

Tem alguma dica na hora de comprar o seguro viagem? Conta para nós! 😉


Banner 1

Publicado por Rachel e Luciano Guedes

Somos um casal apaixonado por viagens e que compartilha relatos e dicas voltados, não exclusivamente, para programas românticos. Todas as nossas dicas são baseadas em nossas experiências.

Siga
Snapchat
viagemadois

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.