Bate e volta para Bruges – a partir de Bruxelas

22 maio 2017

Na primeira vez que fomos a Bélgica, não conseguimos conhecer Bruges. Como só tivemos um dia e meio na cidade resolvemos ficar só na capital e conhecê-la com calma. Felizmente conseguimos ir mês passado pela segunda vez e fizemos o famoso bate e volta para Bruges a partir de Bruxelas.

Os trens com destino a Bruges partem de 30 em 30 minutos, mais ou menos, da Gare du Midi, em Bruxelas. Também há saídas de outras estações, mas esta era a mais próxima do nosso hotel. Como dissemos antes, hospedamo-nos mais uma vez perto da estação (veja o post “Onde se hospedar em Bruxelas: Ibis Brussels Centre Gare du Midi). Acordamos, tomamos um café por ali mesmo e fomos comprar nosso bilhete de trem. Aos finais de semana o valor é promocional e pagamos 15,60 euros pelo bilhete de ida e volta.  Você não compra o bilhete para um horário ou trem específico, mas para o trecho. Então pode entrar em qualquer trem que pare em Bruges, sem precisar trocar o bilhete ou marcar assento.

A viagem toda levou cerca de uma hora. Os trens estavam atrasados nesse dia, mas não foi nada que prejudicasse o nosso planejamento. A primeira coisa que fizemos quando chegamos em Bruges foi, ainda na estação, ir ao centro de informações turisticas pegar um mapa da cidade. Usamos esse mapa como orientação e já fomos andando até o centro histórico. 

bate e volta para Bruges

Nossos bilhetes de trem

bate e volta para Bruges

A caminho, dentro do trem

Saímos da estação e fomos seguindo o fluxo. Muita gente desembarcou na cidade e não foi difícil encontrar o caminho para o centro histórico. Caminhamos cerca de dez minutos e chegamos até a Torre da Pólvora (Powder Tower), uma torre construída no século XV para reforçar a proteção da cidade, onde se armazenava, como diz o nome, pólvora. Ali também fica uma ponte, onde é possível tirar boas fotos. Ela fica sobre o Lago do Amor, um dos pontos mais românticos da cidade, originalmente usado como atracadouro para embarcações que faziam a rota Bruges x Gante.

A seguir caminhamos até o Begijhnof, um local que remonta ao século XIII, onde viviam mulheres leigas, porém celibatárias, que dedicavam sua vida à religião. O local possui diversas casinhas, com fachadas sempre brancas, e um beijo jardim. Ainda hoje o local hospeda freiras beneditinas e outras mulheres que abraçaram o celibato. Há um pequeno museu sobre o lugar, mas nós não o visitamos. 

bate e volta para Bruges

No Lago do amor

bate e volta para Bruges

Begijhnof

Nossa próxima parada foi a Igreja de Nossa Senhora, que possui a segunda maior torre de tijolos da Europa. Não subimos a torre, mas visitamos o templo. O ingresso custou 4 euros, e foi adquirido no prédio que fica do lado oposto da rua (onde fica um museu dedicado à arte flamenca, o qual não visitamos). A igreja, cuja construção remonta ao século XIII, tem estilo gótico. Embora seja um lindo prédio, não achamos que a visita tenha sido tão impactante, mas pode ser porque pegamos o lugar em reforma. 

Continuamos subindo a rua até chegarmos à Simon Stevinplein, uma praça onde ficam diversos restaurantes. Como queríamos algo rápido e barato acabamos ficando pelo Pizza Hut mesmo, mas há boas opções em volta para quem quiser fazer uma refeição mais calma ou mais saudável.  

Já almoçados, pegamos a Steenstraat, onde há diversas lojas de marcas internacionalmente conhecidas. Caminhos devagarinho até chegar à Praça do Mercado, uma das principais da cidade. Há diversos edifícios históricos ao redor da pra, com destaque para o Campanário. Infelizmente não pudemos admirar muito a beleza dos prédios e da praça em si porque estava acontecendo uma espécie de feira, mas aproveitamos para garantir a sobremesa comprando uns chocolates na loja da Godiva!

bate e volta para Bruges

Um dos edifícios da Praça do Mercado (Grote Markt)

bate e volta para Bruges

Campanário

A seguir dirigimo-nos para o antigo bairro da Liga Hanseática. Nesta área havia diversos edifícios de representações “diplomáticas” de outras cidades mercantis. Andamos por ali, observando as construções e o canal. Fomos caminhando, então, em direção à Sint-Walburgakerk, uma bonita igreja ali próxima. Trata-se de um edifício barroco, construído no século XVII. A visita é gratuita. 

Bruges e seus canais (com barcos e turistas) – Bairro da Liga Hanseática

Para terminar nosso passeio a pé, fomos até a praça de Burg, a principal da cidade de Bruges. Nesta praça estão concentrados prédios públicos como a prefeitura, a basílica e o antigo registro civil. A construção da praça remonta ao século XIV, um dos períodos em que Bruges foi mais próspera em razão de seu papel de entreposto comercial. É difícil não se impressionar com os lindos prédios que circundam a praça.

Para fechar nosso dia fizemos o passeio pelos canais. Há diversas empresas e elas ficam espalhadas pela centro. Não procuramos muito, escolhemos a primeira que apareceu no nosso caminho. O passeio custou 8 euros por uma hora. É um passeio legal e, pelo valor acessível, vale a pena. É sempre interessante ver a cidade por outro ângulo. Mas se você tiver pouco tempo diria que não é imperdível. Achamos o de Amsterdam mais bonito.

Passeio terminado, seguimos em direção a estação de trem para voltar a Bruxelas. Podíamos ter pego um ônibus mas preferimos ir andando para ver ainda mais detalhes da cidade.

bate e volta para Bruges

Angulo diferente dentro do barco

No fim das contas, o bate e volta para Bruges valeu a pena. A cidade é bem maior do que imaginamos. Achávamos que Bruges era uma cidade bem pequena, só com um centrinho, mas estávamos bem enganados. Já tínhamos lido alguns blogs recomendando dormir lá e de fato, se você tiver tempo, vale a pena. Bruges é uma cidade romântica e um ótimo destino para uma viagem a dois.

Veja mais da nossa viagem no Instagram (@blogviagemadois) através da #viagemadoisnabelgica pois postamos várias fotos por lá!

E você? Já fez o bate e volta para Bruges ou tem vontade de fazer? Se tiver dicas, compartilhe conosco!



Booking.com

Publicado por Rachel e Luciano Guedes

Somos um casal apaixonado por viagens e que compartilha relatos e dicas voltados, não exclusivamente, para programas românticos. Todas as nossas dicas são baseadas em nossas experiências.

Siga
Snapchat
viagemadois
Tags:

comentários

  1. Bruno
    28 nov 2017

    Que legal…. só uma dúvida… pelo horário do bilhete vcs chegaram em Bruges umas 10:30 né…. que horas vcs voltaram ??
    minha dúvida é pk vou estar de carro e queria saber se um pit stop de 4 horas na cidade é suficiente ou nem vale??

    abraços.!

    • Rachel e Luciano Guedes
      07 dez 2017

      Bruno, essa questão é muito pessoal. Mas como Brugges é uma cidade pequena, pode ser que valha a pena sim parar. Mas ciente que você não vai ter tempo para ver/curtir as coisas com calma.

  2. Rosana
    21 mar 2019

    Nossa , adorei seus comentários. Estou indo a Bruxelas, mas ficarei na cidade por pouco tempo e tinha dúvidas se valeria o bate-volta… Em muito você me ajudou…. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.