Voando com milhas para quem nem sabe bem o que são milhas

23 fev 2015

Os programas de milhagem são premiações por fidelização dos clientes: quanto mais você utiliza o produto ou o serviço, mais vantagens você ganha. O primeiro programa de recompensa da companhias aéreas foi criado pela extinta PanAm. Funcionava assim: a cada três vôos, você ganhava o quarto. Hoje em dia você não vai achar uma barbada dessas, mas com certeza ainda pode fazer bons negócios.

Lembro do tempo em que ao completar dez vôos, você ganhava o décimo primeiro. Naquela época, voar ainda era caro e acumular pontos no cartão de crédito, então, um sonho impossível. Hoje isso mudou e você pode estar perdendo passagens aéreas por aí.

A principal maneira de acumular milhas é voando. As companhias aéreas tem um número de milhas estipulado para cada voo e cada classe de passagens, que varia de companhia para companhia. Abaixo vou abordar com mais detalhes a pontuação nas principais companhias aéreas brasileiras. Assim, para acumular os pontos, é necessário que antes do voo você já seja cadastrado no programa de milhagem da companhia (Smiles, da Gol; Multiplus, da Tam; Tudo Azul, da Azul; Amigo, da Avianca). Então você adquire a passagem aérea e pode creditar os pontos referentes à sua passagem na sua conta de milhagem. Você pode fazer isso na hora da compra, informando o seu número de associado, na hora do check-in, também informando o número, ou após o voo, respeitado o prazo que cada companhia estabelece e de acordo com os procedimentos exigidos (essa forma é um pouco mais burocrática). Você também pode acumular pontos em voos de companhias parceiras das companhias nacionais. Por exemplo, voando American Airlines você pode acumular pontos no Multiplus, voando Delta você pode acumular pontos no Smiles. Vale lembrar que quem ganha é o passageiro, não quem paga pela passagem. Assim, mesmo que o voo tenha sido pago por sua empresa (no caso de viagem a trabalho), os pontos são seus, porque foi você quem voou.

Outra maneira de acumular milhas é utilizando seu cartão de crédito. Alguns deles exigem opção prévia pelo programa de milhagem, outros não. Vou abordar individualmente os cartões que existem no mercado em outro post. Com os cartões de crédito, o valor gasto em sua fatura pode ser convertido em milhas a serem utilizadas nos programas das companhias aéreas. A conversão de pontos acontece em dólar: eles pegam o total que você gastou na fatura, dividem pela cotação do dólar e você tem o número de pontos obtidos com aquela fatura. Ai você multiplica esse valor obtido pela pontuação oferecida pelo seu cartão, que vai de 0,8 a 2,2 pontos por dólar gasto. Se você tiver um cartão que lhe ofereça 1 ou 1,5 pontos por dólar gasto, você já esta fazendo um bom negócio. Geralmente os cartões que oferecem pontuação acima de 1,5 pontos por dólar cobram uma anuidade muito alta, que não compensa se você estiver pensando apenas nas milhas e não nas outras vantagens que o cartão oferece. Acumulados os pontos no cartão de crédito, dependendo do cartão, eles podem ou não expirar. Mais uma vez, a regra é que expirem em uns dois anos, já que apenas alguns cartões top permitem que os pontos nunca expirem. Dentro do prazo de validade você pode transferir esses pontos para os programas de milhagem das companhias aéreas.

Mais uma vez: você, antes de transferir, precisa estar cadastrado nos programas de milhagem das companhias. Logo, um bom ponto de partida, seria cadastrar-se nos programas de milhagem do Smiles, Multiplus, Tudo Azul e Amigo. Tenha num lugar anotados seu usuário, número do cartão e senha, porque você vai precisar sempre que quiser consultar seus pontos, utilizá-los, ou apenas consultar os voos disponíveis. Quando você for transferir os pontos do seu cartão para o programa de milhagem, você terá que escolher para qual programa quer transferir. Isso depende do seu cartão (para quais programas ele permite a transferência) e da empresa que você prefere utilizar seus pontos.

Milhas

Vale acumular os pontos sempre na mesma companhia aérea? Olha, acredito que sim, especialmente se você não tem muitos pontos, assim você junta o máximo possível para conseguir sua viagem. Agora se você acumula muitos pontos no cartão (alto consumo no cartão de credito), eu acho que vale a pena distribuir um pouco seus pontos, para aproveitar eventuais promoções das diferentes companhias. Vale lembrar que os pontos do cartão de crédito somente podem ser transferidos para o programa de milhagem do titular do cartão (mesmo CPF), ou seja, você não pode transferir seus pontos para outra pessoa, embora possa comprar passagens para terceiros. Por exemplo, você acumula seus pontos no cartão, transfere para o SEU programa de milhagens e, com os pontos obtidos, compra passagem para você, sua esposa e seus filhos. Ou para um amigo. Ou para um vizinho. Ou apenas para seu filho (você não precisa ir junto na viagem). Após comprada a passagem, aí sim, ela é intransferível. Alguns programas permitem a transferência de pontos entre contas do programa, geralmente mediante o pagamento de uma tarifa fixa ou por ponto transferido.

 Transferidos os pontos do cartão de crédito para o programa de milhagem, começa um novo prazo de fruição dos pontos: cada programa de fidelidade tem as suas regras, mas em geral, após dois anos sem usar seus pontos, você os perde (no Smiles, o prazo é de 36 meses; no Multiplus, é de 24 meses; no Tudo Azul, é de 24 meses e no Amigo é de 2 anos). Assim, você tem a chance de somar uns quatro anos (dois anos em média da validade dos pontos no cartão, mais dois anos no programa de fidelidade) de compras no cartão para conseguir trocar por uma passagem. Fazendo uma conta grosseira, se hoje (dólar cotado a R$ 3,00) você tem gasto médio de 1.250 reais mensais no cartão de crédito, em quatro anos, antes de expirar seus pontos, você consegue uma passagem de ida e volta dentro do Brasil. Essa conta considera um cartão que dê 1 ponto por dólar gasto e considera que você compre a passagem sem promoção de milhas. Se você conseguir uma promoção, pode reduzir o gasto mensal do cartão para 600 reais. E se conseguir uma cartão que de 1,5 pontos por dólar gasto, precisa consumir mensalmente 800 reais para trocar pela sua passagem.

Além das formas mais típicas de acumular milhas, hoje em dia você pode acumular milhas utilizando um hotel parceiro da companhia aérea, abastecendo em postos de combustível conveniados, comprando em lojas vinculadas ao seu programa de milhagem. E o inverso também é verdade: suas milhas acumuladas em voos, cartão de crédito, etc., podem ser utilizadas para comprar combustível, pagar a conta da farmácia, reservar hotel, etc, embora a conta mais vantajosa ainda seja a utilização em passagens aéreas.

Quanto valem as milhas? Eu sempre calculo assim: 10000 milhas valem R$ 400. E ai eu comparo: quanto custa aquela passagem em dinheiro? E quanto custa em milhas? Se a passagem em milhas custar 10000 milhas e em reais for mais de R$400, ótimo, vou de milhas. Agora se vou precisar, por exemplo, de 8000 milhas pra uma passagem que custa cem reais, vou pagar pela passagem em dinheiro. Você precisa fazer uma regrinha de três para comparar. Claro que essa avaliação depende do caso concreto. Se você esta com as milhas expirando, é bom gastá-las logo, porque uma passagem mesmo que tenha custado muitas milhas é melhor que perder as milhas e ficar sem viagem nenhuma. Outro ponto a considerar é se você estiver sem dinheiro pra pagar a passagem. Aí usar as milhas, mesmo que numa cotação desfavorável, pode valer a pena.

Sempre tenha em conta um detalhe: você troca as milhas pela passagem aérea, mas ainda assim precisa pagar a taxa de embarque, que é devida ao aeroporto, e não à companhia aérea (embora você pague para a companhia aérea, ela apenas vai repassar para o aeroporto). Em voos nacionais, em média, a taxa de embarque é de vinte e cinco reais pra cada trecho. Fazendo essa conta que eu mostrei acima, você vai observar que em regra vale mais a pena utilizar as milhas em passagens nacionais do que em passagens internacionais. Faça o teste. Isso especialmente numa realidade que as companhias aéreas nacionais fazem constantes promoções de milhas reduzidas, o que, infelizmente, vem se tornando cada vez menos frequente.

Você precisa ter bastante cuidado quando nao tiver milhas suficientes para os dois trechos (ida e volta). Especialmente nas passagens internacionais, o preco em dinheiro de uma passagem só de ida é muito próximo do preço da passagem de ida e volta. Faça o teste e tente simular uma compra só de ida para a Europa e, na mesma companhia e mesma data, simule a compra de ida e volta. Nesses casos, comprar um trecho com milhas e o outro com dinheiro pode ser uma grande roubada. Cuidado!

Você faz ótimas compras com milhas naqueles períodos de feriados nacionais, quando o preço das passagens vai às alturas.

Se tiver alguma dúvida, sugestão ou quiser compartilhar sua experiência conosco, comente abaixo!

______

Nos siga no Twitter: @blogviagemadois

Instagram: @blogviagemadois

Facebook: https://www.facebook.com/ViagemADois

E assine nossa newsletter aqui.

Publicado por Cristiane Pouey

Cristiane Cantarelli Pouey tem 32 anos e é advogada pública federal. Começou suas viagens internacionais por Cuba, seguida de República Tcheca, Croácia e Hungria, para só depois conhecer clássicos como Estados Unidos e Itália. Gosta de destinos alternativos e de viajar por conta própria. Já conhece 17 países e está se esforçando para aumentar este número.

Siga
Snapchat
viagemadois

comentários

  1. vale muito trocar milhas por viagens, otimas informações. Parabens

    • Oi, Alexandre. Ficamos felizes que tenha gostado do post. Abraços!

  2. Vale a pena acumular os pontos na oportunidade acaba fazendo um belo passeio com as milhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.