A Nomad é confiável?

20 abr 2022

Umas questões que mais aflige quem viaja para o exterior, especialmente para os Estados Unidos, é o câmbio. Levar dinheiro em espécie ou usar o cartão? Comprar dólar aqui ou no destino? Usar o cartão de débito ou de crédito? Neste post vamos mostrar a opção da Nomad, um banco digital, onde você abre uma conta americana, sem taxa de manutenção, e faz câmbios muito mais em conta. Mas, afinal, será que a Nomad é confiável? Vem com a gente.

É bastante improvável que levar real para o exterior seja vantajoso. Como, infelizmente, o real não é considerado uma moeda forte, não há grande demanda por ele. Sendo assim, comprar moeda estrangeira com reais no exterior será muito caro e, em muitos países, mesmo impossível. Excluída essa possibilidade, resta decidir se você deve levar dólar (ou euro) em espécie ou utilizar o cartão do seu banco brasileiro no exterior.

Ao comprar moeda estrangeira em espécie aqui no Brasil, no banco ou casa de câmbio, você vai pagar a taxa de câmbio turismo, acrescida de 1,1% a título de IOF (um imposto). O valor do dólar ou do euro turismo corresponde ao valor do dólar ou euro comercial, somado a um spread, que seria a taxa cobrada pelo operador do câmbio. Então, tomando o dia 19/04/2022 como parâmetro, vamos ver o custo de comprar 100 dólares. O dólar turismo, segundo o UOL, estava com o valor de venda em R$ 4,843. Ou seja, para comprar 100 dólares, você vai gastar R$ 489,63 (ou seja, R$ 484,30 mais IOF).

Ao utilizar os cartões de crédito e débito, você faz a mesma coisa: compra dólar para usar no exterior. A vantagem é a conveniência e segurança que os cartões oferecem em relação ao papel-moeda. A grande desvantagem, no entanto, é o IOF de 6,38%, muito superior ao valor cobrado para a compra de moeda estrangeira em espécie. Neste caso, ao gastar 100 dólares no cartão de crédito, você vai pagar R$ 515,20.

Baixe seu Checklist de viagem.

E como resolver isso? Até pouco tempo você precisava se conformar e escolher entre economizar com a compra de moeda estrangeira em espécie, ou ter mais segurança com os cartões. Com a Nomad, no entanto, você consegue juntar as duas coisas! A Nomad permite que você abra uma conta internacional, em dólar, garantida pelas leis americanas. Usando apenas o seu celular, você abre uma conta nos Estados Unidos, podendo fazer remessas de forma muito rápida e conveniente. Assim que a conta estiver aberta, você já pode fazer um cartão digital para vincular ao seu Apple Pay, Google Pay ou Samsung Pay. Também pode usar o cartão digital para fazer compras em lojas virtuais americanas, como a Amazon, e já mandar entregar no locker, hotel ou na casa de algum conhecido seu. Além disso, você pode pedir também um cartão físico, o qual poderá levar consigo em sua viagem. Tanto o cartão físico, quanto o digital, podem ser utilizados em 40 países!

Até aí você vai me dizer que não há nenhuma vantagem considerável, já que você tem o seu cartão da conta brasileira.

Mas agora vou contar o que realmente justifica que você abra sua conta com a Nomad: as taxas.

Nomad é confiavel?

Cartão da Rachel

Com a Nomad, você vai pagar o valor do dólar comercial, acrescido apenas de um spread de 2% e do IOF. Usando o mesmo exemplo anterior. O dólar comercial, no dia 19/04/2022, fechou em R$ 4,668. Para comprar 100 dólares com a Nomad, você vai pagar apenas R$ 481,37 (ou seja, menos que para comprar o dólar em espécie direto na casa de câmbio)!

Outras vantagens: a Nomad ainda permite que você faça investimentos nos Estados Unidos e você tem saques gratuitos na rede Allpoint (em outras redes você paga apenas a taxa de utilização de caixa eletrônico, normalmente algo em terno de 3 dólares).

E como sabemos que a Nomad é confiável? Porque utilizamos o serviço na última viagem que fizemos aos Estados Unidos, entre dezembro/21 e janeiro/22. A Rachel abriu a conta aqui do Brasil, recebeu o cartão físico, transferiu alguns dólares e utilizou o cartão tranquilamente durante a viagem. Para aproveitar uma oportunidade (sobre a qual falaremos a seguir), o Luciano também abriu uma conta, durante a viagem mesmo, e, em menos de 24 horas, já pode emitir o cartão digital, o qual vinculou ao seu Apple Pay e pode usar durante os dias restantes em Orlando. Depois que você transfere o valor em reais para a Nomad, seguindo as instruções do app, eles prometem que a quantia em dólar entra na sua conta americana em até dia útil, mas, durante a nossa viagem, entrou em poucas horas.

E qual é essa oportunidade a que nos referimos? Usando nosso código, você ganha um cashback de 15 dólares. Isso mesmo. Para receber esse valor, você precisa usar nosso código quando abrir a conta (FINALMENTEORLANDO) e fazer uma transferência superior a 200 dólares nos primeiros 10 dias da abertura da conta.

Nomad e confiavel

Resumo

Em resumo: a conta tem abertura e manutenção gratuitas, te dá acesso ao maior mercado de investimentos do mundo (EUA), o cartão pode ser usado em mais de 40 países*, as transferências entre contas Nomad são gratuitas e o melhor, te permite fazer câmbio muito mais barato. Baixe logo o aplicativo, abra sua conta com o cashback de 15 doirares e vamos viajar!! o/

Esperamos que essa super dica ajude você a economizar e ter mais segurança na sua viagem! E pode confiar, a Nomad é confiável.

*Para saber o valor da conversão do dólar para a moeda do país onde você estiver utilizando o seu cartão, visite o site da Mastercard. Não há cobrança de taxa para utilização do seu cartão fora dos Estados Unidos. Então, se você fizer uma compra de 10 euros, a um câmbio em que 1 euro vale 1,10 dólar, serão debitados da sua conta e 11 dólares.

Publicado por Rachel e Luciano Guedes

Somos um casal apaixonado por viagens e que compartilha relatos e dicas voltados, não exclusivamente, para programas românticos. Todas as nossas dicas são baseadas em nossas experiências.

Siga
Snapchat
viagemadois
Tags: ,

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.